2020-09-26 (Saturday)
27oC / 80%Céu

Ho Ion Sang: Vistos individuais essenciais para o turismo

O novo tipo de coronavírus dominou esta tarde o período de antes da ordem dia na Assembleia Legislativa, com o deputado Ho Ion Sang a mostrar preocupação com o impacto económico da doença. “Face ao flagelo da Covid-19, que surgiu há mais de seis meses e continua sem dar sinais de melhoria, a economia de Macau continua a piorar”, começou por sublinhar o deputado. Para Ho Ion Sang, para a retoma do turismo, é “essencial reabrir os vistos individuais” e “recuperar as viagens transfronteiriças”. “Sob a premissa de que a epidemia está segura e controlada, sugiro ao Governo que dialogue activamente com os serviços competentes do Interior da China, para que seja dada preferência à emissão, pelas nove cidades na Grande Baía, de vistos para Macau e que depois se alargue a medida a toda a província de Guangdong”, afirmou. Ho Ion Sang defendeu ainda que o “Governo deve planear bem o desenvolvimento do turismo, explorar mais projectos turísticos de alta qualidade, e aumentar as experiências e os produtos turísticos, com vista a atrair mais turistas a consumo e a prolongar a sua estadia em Macau”. A pandemia tem também afectado as micro, pequenas e médias empresas que, segundo Wang Sai Man, “esforçam-se por enfrentar as adversidades”. O deputado olha por isso para o exemplo que chega da China: “apesar da recessão económica causada pela epidemia, alguns sectores emergentes conseguiram remar contra a corrente, sendo o comércio electrónico transfronteiriço um deles”. O deputado deixou, por isso, ao Governo a sugestão de “construir uma plataforma de comércio electrónico transfronteiriço que sirva principalmente as micro e PME de Macau, apoiando, através desta plataforma única de serviços, o seu desenvolvimento de actividades de comércio nesse âmbito, especialmente na entrada no vasto mercado do comércio electrónico do Interior da China, para as empresas poderem tratar, de forma one-stop, a abertura de lojas online, o registo de produtos, o transporte e a liquidação transfronteiriços, o desalfandegamento e a distribuição dos produtos, entre outras necessidades das actividades de importação e exportação”. “Tudo isso tem como objectivo minimizar os custos de investimento e operações das micro e PME de Macau no comércio electrónico, e acelerar a sua promoção e integração no desenvolvimento da Grande Baía”, acrescentou. Esta tarde, no período de antes da ordem do dia, Si Ka Lon argumentou que Macau deve continuar a pedir o apoio da China na retoma dos vistos individuais. Para o deputado, Macau deve também definir uma estratégia para quando houver uma vacina. “Muitos residentes estão preocupados com as medidas a adoptar pelo Governo. Assim, este deve definir e divulgar, quanto antes, as respectivas informações, e fazer bem e quanto antes o trabalho de pré-aquisição, para que, uma vez postas em circulação no mercado, as vacinas possam ser administradas o mais rápido possível, criando condições para o funcionamento socioeconómico seguro e para o restabelecimento rápido das relações com o exterior”, disse. Marta Melo

Voltar